google.com, pub-7228869011542059, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

Quem é esse Fernando Pessoa, poeta, que cito tanto?

Atualizado: 7 de jun. de 2023


O poeta português Fernando Pessoa.
O poeta Português Fenando Pessoa

Quem me acompanha em redes sociais, vê que sempre cito o poeta português Fernando Pessoa.


Para ajudar o leitor não ficar perdido no rolê, vai uma descrição básica sobre ele.


Fernando Pessoa (1888-1935) foi um dos mais importantes poetas portugueses do século XX e uma das figuras literárias mais influentes da língua portuguesa.


Pessoa é conhecido por criar diversos heterônimos, sendo personalidades fictícias criadas por ele para escrever em estilos e vozes diferentes. Cada heterônimo tem sua própria história, biografia, personalidade e estilo de escrita únicos.

Os três heterônimos mais conhecidos de Pessoa são Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos. Cada um deles representa uma abordagem diferente à poesia e à vida.


Alberto Caeiro é o heterônimo mais antigo de Pessoa e representa uma espécie de poesia da natureza. Caeiro escreveu sobre a simplicidade e a beleza das coisas comuns da vida e pregou uma filosofia de viver no momento presente. Sua poesia é caracterizada pela simplicidade, pela clareza e pela ausência de qualquer tipo de subjetividade ou emoção. Caeiro é considerado por muitos críticos como o mestre de todos os outros heterônimos de Pessoa.


Ricardo Reis é o heterônimo mais clássico de Pessoa e escreveu poesia com influência do estoicismo e da mitologia greco-romana. Reis escreveu sobre a transitoriedade da vida, a inevitabilidade da morte e a busca pela serenidade e pela harmonia interior. Sua poesia é caracterizada pelo uso de formas poéticas clássicas, como o soneto, e pela elegância e refinamento de sua linguagem.


Álvaro de Campos é o heterônimo mais complexo e multifacetado de Pessoa. Campos escreveu sobre temas modernos, como a tecnologia, a industrialização, a alienação e a angústia existencial. Sua poesia é caracterizada pela experimentação formal, pela utilização de recursos da poesia moderna, como o verso livre e a colagem, e pelo uso de uma linguagem mais coloquial e direta do que os outros heterônimos.


Além desses três heterônimos, Pessoa criou dezenas de outros, cada um com sua própria voz e perspectiva. Entre eles estão Bernardo Soares, um escritor introspectivo que escreveu o "Livro do Desassossego", uma obra-prima da prosa portuguesa; António Mora, um poeta que escreveu sobre a angústia da vida moderna; e Jean Seul de Méluret, um poeta francês que escreveu sobre o amor e a paixão.


Em resumo, Fernando Pessoa é um dos poetas mais importantes e influentes da língua portuguesa. Sua obra é caracterizada pela diversidade, pela originalidade e pela experimentação formal. Os seus heterônimos são uma das suas maiores contribuições para a literatura e representam uma das mais impressionantes realizações literárias do século XX.

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page