google.com, pub-7228869011542059, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

Saúde Mental nas Organizações: Um Olhar Profundo sobre os Desafios Atuais


Saúde Mental

A questão da saúde mental ganha cada vez mais destaque nas organizações, e os números revelam um cenário preocupante. Uma pesquisa recente, realizada com 8.980 trabalhadores de diferentes níveis hierárquicos no Brasil, apontou que 48% deles estão em risco de problemas de saúde mental. Os dados, obtidos pelo Valor, mostram que 44% sofrem de insônia, 60% são sedentários e 60% apresentam sobrepeso ou obesidade.


Os Desafios Diante dos Números Alarmantes


Os participantes desse estudo, provenientes de empresas de diversos setores, como tecnologia, varejo e bens de consumo, revelam um panorama inquietante. O Dr. Thiago Liguori, Chief Medical Officer da Pipo Saúde, enfatiza que o risco de problemas de saúde mental foi avaliado através de questionários que detectam a possibilidade de transtornos como ansiedade generalizada ou depressão.


Dados do Ministério da Previdência Social corroboram essa preocupação, indicando um aumento de 38% nos benefícios concedidos por incapacidade devido a transtornos mentais e comportamentais no Brasil em 2023, em comparação com o ano anterior. O total de 288.865 benefícios destaca a urgência em abordar essa questão.


A Influência da Pandemia e as Mudanças no Ambiente de Trabalho



Um fator relevante apontado por Liguori é que a pandemia reduziu o estigma associado aos transtornos mentais, possivelmente aumentando a busca por ajuda. Além disso, os níveis de estresse, cobrança e insegurança psicológica têm crescido nas empresas, influenciando diretamente no bem-estar mental dos colaboradores.

Surpreendentemente, os programas de saúde mental ainda não têm uma presença robusta nas organizações.


A pesquisa de benefícios da Pipo em 2023 revela que apenas 36,2% das empresas com até 500 colaboradores ofereciam algum benefício nessa área. Isso é agravado pela falta de treinamento adequado para líderes lidarem com questões de saúde mental entre os membros da equipe.


A Necessidade de uma Abordagem Integral


Embora palestras e rodas de conversa sobre saúde mental tenham se tornado práticas comuns nas empresas, o Dr. Liguori destaca que essas ações são apenas o primeiro passo. Há uma lacuna significativa no diagnóstico e tratamento adequado da força de trabalho, evidenciando a necessidade de uma abordagem mais abrangente.

Um estudo global, o People at Work 2023, realizado pelo ADP Research Institute, reforça a importância crescente do tema. No entanto, ainda há desafios a serem superados. Globalmente, 57% dos trabalhadores e 43% dos brasileiros não acreditam que seus gestores estejam preparados para discutir saúde mental no trabalho sem julgamentos.


Perspectivas e Desafios Futuros


Claudio Maggieri, general manager para a América Latina na ADP, destaca que a atenção à saúde mental intensificou-se durante e após a pandemia, mas algumas organizações podem estar perdendo o foco à medida que buscam uma suposta "volta à normalidade". Ele enfatiza a necessidade de uma transformação profunda nas organizações para lidar de maneira estruturada e sustentável com os desafios da saúde mental.


O mundo do trabalho, segundo Maggieri, está em um momento de inflexão, exigindo uma compreensão mais profunda dos efeitos da saúde mental na força de trabalho, na execução de estratégias e na geração de resultados. Investir na saúde mental não é apenas uma responsabilidade ética, mas também uma estratégia inteligente para promover um ambiente de trabalho produtivo e sustentável a longo prazo, como ressalta Marcela Ziliotto, head de pessoas da Pipo Saúde.


2 visualizações0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page