google.com, pub-7228869011542059, DIRECT, f08c47fec0942fa0
top of page

Impacto de notícias ruins na mídia na vida das pessoas psicologicamente, pessoal e profissionalmente


A mídia tem um papel importante na disseminação de informações para a sociedade, e muitas vezes, as notícias divulgadas são negativas. Desastres naturais, crises políticas e econômicas, violência e crimes são alguns exemplos de notícias ruins veiculadas diariamente. O impacto dessas notícias na vida das pessoas pode ser significativo, afetando-as psicologicamente, pessoal e profissionalmente.


Impacto psicológico


A exposição constante a notícias ruins pode ter um impacto negativo na saúde mental das pessoas. Um estudo publicado na revista Psychological Science em 2013 mostrou que a exposição a notícias negativas pode levar a um aumento do estresse e da ansiedade. Outro estudo realizado pela University of Sussex, no Reino Unido, em 2015, mostrou que a exposição a notícias negativas pode levar a um estado de desesperança e desamparo aprendido, o que pode afetar negativamente a saúde mental das pessoas.


Além disso, a repetição constante de notícias negativas pode levar a um estado de fadiga emocional, conhecido como "fadiga da compaixão". Isso acontece quando as pessoas se sentem sobrecarregadas com a quantidade de notícias ruins e acabam se tornando insensíveis a elas. Isso pode levar a um sentimento de desumanização e falta de empatia em relação aos outros.


Fadiga da compaixão é um termo utilizado para descrever a exaustão emocional e física que pode afetar profissionais que trabalham em áreas que exigem empatia e cuidado com outras pessoas, como profissionais de saúde e assistentes sociais. Essa fadiga pode surgir devido ao acúmulo de estresse e sofrimento emocional dos pacientes, gerando sintomas como esgotamento, despersonalização, falta de motivação e problemas de saúde física e mental.


A terapia mental é frequentemente recomendada para tratar as causas e consequências da fadiga da compaixão. Programas de prevenção também são importantes para evitar que esse estado ocorra, por meio do reconhecimento dos sintomas e eliminação do tabu em torno do tema.


Pesquisa:

https://muysalud.com/pt/saude/o-que-e-fadiga-por-compaixao/

https://menteemaravilhosa.com.br/fadiga-de-compaixao/




Embora a fadiga da compaixão seja mais comumente associada a profissionais que trabalham em áreas de cuidado, como saúde e assistência social, é possível que também ocorra em outras situações, como no caso de pessoas que assistem a filmes ou programas de TV que abordam temas difíceis e emocionais. A exposição constante a histórias tristes, traumáticas ou violentas pode levar a uma sobrecarga emocional, gerando sintomas semelhantes à fadiga da compaixão, como exaustão, despersonalização e falta de motivação. É importante lembrar que cada pessoa reage de maneira diferente a esses estímulos que o mais importante é estar atento aos próprios limites emocionais e buscar ajuda profissional caso necessário.


Impacto pessoal


As notícias ruins também podem ter um impacto pessoal na vida das pessoas. Por exemplo, a divulgação de notícias sobre crimes violentos pode fazer com que as pessoas se sintam menos seguras em suas próprias casas e comunidades. Um estudo realizado pela Yale University, nos Estados Unidos, em 2014, mostrou que a exposição a notícias negativas sobre crimes pode levar a um aumento do medo e da ansiedade em relação à violência.


Da mesma forma, as notícias sobre desastres naturais podem fazer com que as pessoas se sintam vulneráveis e impotentes diante das forças da natureza. Um estudo realizado pela Columbia University, nos Estados Unidos, em 2012, mostrou que a exposição a notícias negativas sobre desastres naturais pode levar a um aumento do estresse e da ansiedade em relação a esses eventos.


Impacto profissional


As notícias ruins também podem afetar a vida profissional das pessoas. Por exemplo, a divulgação de notícias sobre crises econômicas pode levar a uma queda no mercado de trabalho, com empresas demitindo funcionários e reduzindo investimentos. Um estudo realizado pela University of Warwick, no Reino Unido, em 2010, mostrou que a exposição a notícias negativas sobre a economia pode levar a um aumento do desemprego e da instabilidade financeira.


Da mesma forma, as notícias sobre desastres naturais podem afetar negativamente setores como turismo e agricultura, causando prejuízos financeiros para empresas e trabalhadores.


Conclusão


Encontrar equilíbrio em meio a tantas notícias ruins pode ser um desafio, mas existem algumas estratégias que podem ajudar. Uma delas é limitar a exposição a notícias negativas, estabelecendo horários específicos para se informar e evitando o excesso de informações durante o dia. É importante também buscar fontes confiáveis e variadas, que ofereçam uma cobertura equilibrada de eventos e não se concentrem apenas em notícias negativas.


Além disso, é importante lembrar que nem todas as notícias ruins são iguais e que algumas podem ter mais relevância e impacto do que outras. É importante estar ciente dos eventos importantes e relevantes, mas também é possível buscar notícias positivas e inspiradoras para equilibrar a exposição a notícias negativas. Afinal, existem muitas histórias de superação, solidariedade e esperança que merecem ser compartilhadas e valorizadas.


É importante lembrar que a busca por notícias positivas não significa ignorar ou minimizar os eventos negativos que ocorrem no mundo. É importante estar informado e consciente dos problemas que afetam a sociedade, mas também é possível encontrar um equilíbrio saudável entre a informação e o bem-estar emocional. Afinal, é possível estar ciente dos problemas do mundo e, ao mesmo tempo, manter uma perspectiva positiva e esperançosa em relação ao futuro.


Em resumo, as notícias ruins vinculadas na mídia podem ter um impacto significativo na vida das pessoas. Além de afetar a saúde mental, as notícias negativas também podem gerar impactos pessoais e profissionais. É importante que as pessoas aprendam a lidar com essas notícias de forma saudável, buscando informação de fontes confiáveis e evitando a exposição excessiva a notícias negativas.


As empresas de mídia são responsáveis por selecionar o conteúdo que transmitem, incluindo notícias negativas ou positivas.


No entanto, a regulação se aplica apenas ao meio de transmissão, o que significa que as autoridades não têm poder para aplicá-la contra redes de notícias a cabo, jornais ou boletins informativos (sejam online ou impressos), plataformas de mídia social, serviços de streaming exclusivamente online ou qualquer outra plataforma de notícias não transmitida.


A mídia tem a responsabilidade de fornecer informações precisas e imparciais, mas também há uma tendência para a mídia focar nas notícias negativas, o que pode levar a uma visão distorcida da realidade.


Como você lida com as notícias ruins?


Escreva nos comentários.


2 visualizações0 comentário
bottom of page